04 janeiro 2006

Saínt Germaín De-Prés Café - Volume 6.


Numa altura em que já foi editado o volume 7, tive oportunidade de ouvir o anterior. Resultado ESTRONDOSO!

Saínt Germaín De-Prés Café, nome de uma das zonas mais carismáticas de Paris, transporta toda a emblemática e vida para as colectâneas de eletro-jazz, inicialmente apelidado de jazz de fusão, ou mais recentemente NU-JAZZ... no fundo, várias designações para identificar temas de jazz tocados com ritmos actuais, e especialmente, dançáveis... ou talvez não... o suficiente para abanar o copo e os ombros (não abanem demais senão viram a bebida... desperdício!). O exponente máximo deste género musical foi lançado pelos próprios Saint Germain, banda francesa que prima por temas de sonoridade muito original.

Este tipo de música é capaz de criar um bom ambiente durante um jantar, ou mesmo depois do jantar... visto que não tem uma presença suficientemente forte para incomodar o diálogo, nem um ritmo suficientemente adrenalizante para nos catapultar (gosto deste termo... deve ser influencia da minha raquete de ténis nova, cujo modelo se chama CATAPULT e que curiosamente não tem muita “saída”) para a pista de dança. Gosto também de ouvir este tipo de música no automóvel: dá-nos ritmo de condução (rápido) e afugenta o sono! Outra característica destes cd’s é a sua excelente qualidade de gravação... é... estão a ler bem... eu estou a dizer bem do som de um cd... ok, o som está todo no mesmo patamar e vem directamente das colunas para os nossos ouvidos... onde ficou a atmosfera sonora? Provavelmente nos vinis que lhes deram origem... e felizmente, consegue-se ouvir gravilha por vezes.

Na verdade, nunca fui grande fã deste tipo de música, às vezes um tanto ou quanto sem personalidade. Estes temas incidem normalmente em originais contemporâneos de jazz, dos quais resultam novas interpretações, com ritmos distintos, adicionados de samplers, etc. Mas esta série de compilações seduziu-me com os dois primeiros volumes, levando-me quase a desistir com os três seguintes (onde há alguns bons temas, mas...). Já o volume 6 é arrasador! Fabulástico! Temos som com presença e com personalidade. Temos temas, versões, interpretações excelentes!

Recomendo-vos a audição atenta (até porque cativa ao primeiro contacto) desta colectânea. Destaco-vos as seguintes faixas: logo a primeira “Devil May Care” por Jamie Cullum; “Get a Move On”, uma já conhecida versão de Mr. Scruff, para quem ouve outras colectâneas do género, Blue Note e Hotel Costes; “All I Need” por Re: Jazz featuring Lissa Bassenge, uma espectacular versão do tema mediático dos Air; “In The Still of Night” de Stacey Kent, que nunca canta mal; e, “Cantallop Island” numa versão por Dj Cam featuring Tassel & Naturel, tema deslumbrante que nunca desilude independentemente da versão ou do intérprete.

Boas audições!
Sérgio

4 comentários:

darth vader disse...

WWWEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE! I GOT THE POWER! TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM ! THIS IS SOUND! THIS HAS RYTHIM! THIS IS BLACK RYTHIM! TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM TCHUM !!!

MT/JC disse...

quelo ouvile !!!!!
eu gotar muito dos outros.... onde para o pirata ?

CARMO disse...

Nanananana... viva os originais!

carla castro disse...

não não, originais não, eu tb quero ouvir hehehehe:-)