25 janeiro 2006

Coçar Onde É Preciso!

Na passada sexta-feira assisti à mais recente peça de José Pedro Gomes. Não há melhor terapia depois de um dia de trabalho, do que rir... especialmente durante duas horas!

Duas horas é a duração da peça... mas como quantidade não é sinónimo de qualidade, convém acrescer que nessas duas horas dei sonoras gargalhadas, quase de 30 em 30 segundos.

É realmente incrível o valor deste homem e comediante. A peça começou com uma interacção com o público e uma oportuna “chazada” aos que chegaram atrasados. No decorrer da mesma, o actor fala e goza com os hábitos e defeitos dos Portugueses, o que só por si é uma garantia de boas gargalhadas! Não há nada melhor do que rirmo-nos de nós mesmos (digo eu...)! São analisadas e devidamente comentadas muitas outras realidades: os correios de Portugal, o tempo que se perde para renovar o passaporte mesmo na Loja do Cidadão, as férias “obrigatórias” em Agosto, os hábitos e destinos de férias, diferenças de Portugal com o resto do mundo (até nas sanitas!), os políticos, o actual governo, a “javardice” democrata, a sinalização das estradas, as supostas aberturas fáceis dos pacotes de leite, os “jeitosos”, os “chicos-espertos”, o país do “desculpa lá”... e até Monalisa não foge à analise comediante, por vezes com uma ponta de ironia e sarcasmo.

José Pedro Gomes estreia-se assim “sozinho” em palco, depois de em Março de 2005 ter sentido fortes dores de cabeça durante um espectáculo (Laranja Azul) e lhe ter sido diagnosticado um aneurisma cerebral. Melhor que nunca, este pequeno grande actor, revê-se no humor que faz e brinca com o facto de estar a ficar velho... será que está?! Permitam-me a analogia: o bom vinho amadurece e torna-se mais requintado com a idade; o outro, azeda...

Sérgio

3 comentários:

MT/JC disse...

Quem não viu, Não perca!!
a nós que vimos só resta recordar e rir rir "runing out of gas":)

rn disse...

Pena já não estar no Porto......
Não há nada como rrriiirrrr de nós!

Solariso disse...

Ele é sem dúvida um excelente actor.