28 março 2009

VIP - Vagabund In Power!


É uma das mais originais interpretações de Nneka, a nigeriana que nos brindou ontem com um dos melhores concertos que alguma vez assisti.

Já não entrava na sala do Cinema Batalha desde miúdo... há 30 anos?!... O local continua sinistro, mas tem uma acústica excelente. E esta é a parte importante... porque o concerto foi intenso, vibrante, com ritmo, soul e muita personalidade.

A voz de Nneka tem o poder de nos fazer vibrar por dentro. Acompanhada por uma excelente banda, levou os ritmos e sons ao limite da interpretação e feeling de cada um dos músicos. Uma voz forte que sai de uma alma carinhosa e meiga, e que exterioriza com facilidade a forma como sente a música, a vida, as injustiças do mundo, mas também a arte... a melodia, o ritmo, o balanço, a dança tipicamente africana esvai-lhe do sangue para a alma e novamente para o corpo. Dali saiem ritmos e melodias com influência africana, letras cantadas em inglês, reagge no ritmo e na guitarra, jazz nas percursões e até rock nas teclas e no baixo. A alma é nigeriana, a forma é universal... o resultado indescritível!

Fica a vontade de a rever, de comprar tudo o que está editado e a saudade do que sentimos ao ouvir aquela música intensa... rodeada por um ambiente de fumo a que já não estou habituado (fumava-se dentro da sala do Batalha!) e por cheiros intensos de perfurmes doces e suor. A atmosfera é dificil de descrever... não sei se estava mesmo muito calor, ou se foi esta intensidade brutal do que ali se expressou através da voz, da música e da dança, que me fez transpirar o concerto todo... toda gente dançava ainda que inconscientemente. Sim, porque aquele som entra-nos no corpo... e este reage fora do controlo da nossa mente...


BRUTAL!


Um registo totalmente diferente leva o meu imaginário para o concerto no fantástico Centro Cultural Vila Flor (onde curiosamente Nneka actua hoje!), onde no passado dia 14 assisti (pela segunda vez!) a uma actuação dos deslumbrantes Casino Royal.

Esta banda da Figueira da Foz expoe-nos num tom quase gélido a sons que mais parecem sair da banda sonora de um filme de 007, parecendo que por momentos temos James Bond ao nosso lado a acender um cigarro... Digo parecer, porque a música destes Portugueses está ao nível de qualquer uma destas bandas sonoras... e quanto a Bond Girls, seguramente as vi por lá (quer no Porto, no Palácio de Cristal onde os vi pela primeira vez, quer agora em Guimarães).

Outro cenário possível para onde esta música sensacional nos leva, são os anúncios da Martini. O Viva da Vita está bem presente pelo charme e envolvência, quer da voz poderosa da Marisa, quer pela elegãncia, distinção e excelência com que todos os instrumentos são tocados.

O som oriundo da Figueira da Foz parece ter uma paralelo com a Riviera francesa dos anos 50 e 60 (vá-se lá avaliar os reflexos da obra de Santana Lopes!). Pelo menos a inspiração está lá, embora os oceanos sejam distintos (e os ventos também!).

É claramente um som com pedigree, com emblemática e misticismo de quem sabe viver a vida, e de quem sabe apreciar as boas coisas a que podemos aceder.

Toda esta envolvência nos toca... a altivez do tom dá-lhe um toque de inacessibilidade, que parece criar uma distancia entre nós e aqueles que saboreiam esta atmosfera... quando afinal, também a sentimos da mesma forma. Ou seja, tornámo-nos parte da elite que sabe o que quer e que se empenha para viver bem... saboreando cocktails, vestindo roupas elegantes, olhando em volta com determinação e confiança... saboreando a realização pessoal e o sucesso... com sonhos... com glamour... com cor!

Sérgio

21 março 2009

Algumas Notas Soltas Sobre o Dia de Ontem...


Finalmente o CARMOBLOG tem um visual novo (graças à amiguinha "aquiescrevoamor"; obrigado fofura!); o anterior já-me dava vómitos... não sei como alguém ainda aqui vinha!

Ontem, enquanto abastecia o meu bólide com o tão precioso e caro líquido de que ele tanto gosta, assisti a uma cena fantástica. Numa saída da auto-estrada apareceu um Golf preto com os farois desligados. Não contente, resolveu parar no fim da referida saída, com duas rodas para lá do traço contínuo, ou seja, já na facha de rodagem de uma via rápida. Por incrível que pareça, e até porque aquela é uma zona de aceleração e não para parar, não houve nenhum acidente, apesar do automóvel em causa estar "no meio da rua", ter os farois desligados e ser de noite. Mais incrível ainda, nenhum dos automobilistas que evitou a colisão (4 ou 5) sequer buzinou... Depois de alguma meditação, o condutor do Golf, continuou com os farois desligados, mas resolveu arrancar lentamente e fazer inversão de marcha, muito calmamente, passando por cima de um duplo traço contínuo e atravessando 4 faixas de rodagem de uma via rápida. Resultado: zero acidentes; zero buzinadelas. Continuou a conduzir de faróis desligados. Concluo portanto, que todos os acidentes que ocorrem em Portugal se devem irremediavelmente a excesso de velocidade...

Consegui chegar ao meu tão desejado treino de Viet Vo Dao (ultimamente também designado por Hiep Ky Vo Dao, ou Tran Su Dao), inexplicavelmente ileso, tal como o meu carro, mas atrasado... assim como o próprio instrutor!

Numa conversa breve de balneário, tempo para ironizar sobre o ridículo desempenho dos sindicatos, ao processarem a RDP por causa de um anúncio de informação de trânsito, onde se refere que há ruas cortadas devido a mais uma manifestação de professores. Segundo estes sindicatos, o anúncio prejudica a imagem dos mesmos, sendo a estação de rádio do estado, a mobilizar opiniões em defesa da imagem do governo! Pessoalmente, parece-me antes o contrário... demonstra que as manifestações contra o governo já são perfeitamente habituais, logo este governo é incapaz de conseguir a concertação social. Como é que há tanta gente imbecil, a quem se dá tanta atenção?! Não têm mais nada para fazer?!

Durante o treino tive um deliquilíbrio num combate (ainda estou em convelescência); até aqui tudo bem... Grave foi que o "cinto negro" que combatia comigo não teve a lucidez de parar uma ataque de perna, embatendo fortemente no meu fraço esquerdo, visto ter sido a única protecção possível... pensei que tinha partido o braço... nunca tal me tinha acontecido. Não consigo entender como um "cinto negro" pode ter tanta falta de controlo num movimento... Em 30 anos de prática de artes marciais, nunca tal me aconteceu...



Já no fim do treino e novamente no balneário, o tema de conversa era as "Novas Oportunidades" no ensino. São sem dúvida uma iniciativa louvável para as pessoas que pretendem um maior grau de instrucção, não lhes sendo possível devido à sua vida profissional, dispender uma carga horária elevada para estudarem. Entendo também, que a experiência de vida, lhe trará conhecimentos acrescidos, justificando-se o "aligeirar" de exigência para obter a qualificações em causa. O que eu não posso entender, é que as mesmas "Novas Oportunidades" estejam disponíveis para os mandriões que nunca estudaram (frequentaram o ensino sem aprovação) e nunca tiveram emprego, nem querem ter! Quando estudei, dei muito de mim, do meu tempo... esforcei-me muito; dormi pouco; perdi dias de praia e de desporto, música ou qualquer outro hobbie. Não admito, portanto, que alguém em poucos meses e com conhecimentos aligeirados se equipare à formação que obtive, e possa agora concorrer a um curso superior, onde com 3 anos acede a uma licenciatura... a mesma que me custou 5 anos!

A conversa prosseguiu com o estado do ensino actual, onde não se chumba até ao 9.º ano... mesmo quando não se vai às aulas!!! Ou à maior parte delas!!! É que os níveis de tolerância actuais são, no mínimo, ridículos! Um dos professores contava a pressão que existe da DREN para não chumbar ninguém... e as provas de recuperação para quem se balda... o ridículo de um sistema criado para quem não quer fazer nada, para os inaptos, para favoreces os imbecis e mediocres... Dizia ainda, que praticamente só conseguia chumbar os alunos por faltas... Falava da necessidade de explicações e justificações adicionais para chumbar um aluno, tendo inclusivamente já ridicularizado os inspectores da DREN, quando lhe questionavam sobre o porquê de não dar aprovação. Referia que os inspectores da DREN deveriam preocupar-se mais em obter justificações de como se aprova um aluno que faltou a mais de 50% das aulas e não o oposto! Isso sim, mereceria uma justificação muito detalhada e apertada. É claro que este professor foi criticado, unanimente, no balneário por ser demasiado rigoroso! As gargalhadas soaram bem alto!

Desta forma passou-se ao tema seguinte: mercado de emprego. De facto, a mediocridade reina. As pessoas não têm a mínima ideia da obrigação que têm de gerar valor; de serem produtivas e pró-activas. Cada posto de trabalho deve ser tido como uma empresa: se o serviço prestado não é o melhor, contrata-se outro. Da mesma forma, quando a remuneração e as condições de trabalho não são as melhores, procuram-se outros clientes. A obrigação de garantir o longevidade das empresas passa exclusivamente pela competitividade das mesmas. E isso só se consegue com o empenho máximo, a todo o momento, de todos os que diariamente auferem um salário. Infelizmente, e cada vez mais, se semea a mentalidade da irresponsabilidade e da mediocridade, sendo a responsabilidade final sempre da entidade patronal que tem como dever absoluto pagar e nada exigir.

Esta semana também gostei de ouvir o tão respeitável e ilustre Pápa, quando afirmou que o uso do preservativo é uma das causas da proliferação da sida em África... especialmente em África! Cada vez mais a Igreja reforça a sua utilidade para com os mais desfavorecidos... quase que aposto que a seguir o Digníssimo Padre vai ordenar a venda de património da Igreja, contribuindo assim para diminuir a miséria no mundo, tal como têm feito algumas empresas e milionários.

Costuma-se dizer ainda que a crise existe para dois tipos de pessoas: para os mentirosos e para os preguiçosos! A confirmação está na profunda crise que a banca portuguesa atravessa... vejam lá que ao contrário dos bancos europeus, onde se passou de um cenário de lucros a profundos prejuízos, a banca portuguesa conseguiu continuar a crescer em termos de lucros... mas a uma taxa de crescimento inferior face a outros anos! Que chatice!

Não se escandalizem, portanto, por estarmos a caminhar para os 80% de miseráveis e 20% de milionários, tão tipicos do 3.º mundo. Sabem que mais: é merecido... Mas não pensem que estou de mal com a vida... Antes pelo contrário; tudo corre bem!

Sérgio

nota: imagens retiradas da internet; desconheço os autores.

14 março 2009

Tempo, precisa-se...

...ainda não censegui terminar o texto das férias... já lá vai mês e meio... já quase não me lembro das férias...

Sérgio


In that moment I was frozen out
Of a story that I knew all about
Then I called her in the evening
My depression started lifting

I won't let it kill me
This time
I won't let it kill me
This time

Up to the surface came a feeling
Left me useless
Left me reeling

I won't let it kill me
This time
I won't let it kill me
This time
When the beats run dry there's gonna be some blood
[repeat x6]

I won't let it kill me
This time
I won't let it kill me
This time

(Starsailor - This Time, On The Outside - 2006)

09 março 2009

06 março 2009

Guaranteed

"Into The Wild" é um daqueles filmes que todos devíamos ver, pelo menos uma vez...

Já aqui escrevi sobre o filme. Na altura algo me escapou, e que só mais tarde, em conversa com um amigo (também ele Sérgio) consegui sintetizar... Apesar de tudo o que de fantástico o filme nos traz, há um egoismo enorme na personagem principal... Viver a aventura é algo que todos temos direito, mas deixar atrás de nós um rasto de sofrimento e sensação de perda naqueles que tanto gostam de nós e a nós se dedicam... é algo que, no mínimo, devemos ponderar.
Não temos o direito de semear e estimular laços profundos com os outros, se os pretendemos partir a meio.

Sérgio




On bended knee is no way to be free
Lifting up an empty cup, I ask silently
All my destinations will accept the one that's me
So I can breathe...

Circles they grow and they swallow people whole
Half their lives they say goodnight to wives they'll never know
A mind full of questions, and a teacher in my soul
And so it goes...

Don't come closer or I'll have to go
Holding me like gravity are places that pull
If ever there was someone to keep me at home
It would be you...

Everyone I come across, in cages they bought
They think of me and my wandering, but I'm never what they thought
I've got my indignation, but I'm pure in all my thoughts
I'm alive...

Wind in my hair, I feel part of everywhere
Underneath my being is a road that disappeared
Late at night I hear the trees, they're singing with the dead
Overhead...

Leave it to me as I find a way to be
Consider me a satellite, forever orbiting
I knew all the rules, but the rules did not know me
Guaranteed

(Eddie Vedder - Guaranteed, B.S.O. Into The Wild)

05 março 2009

Poema

Apesar de não ser apreciador da música brasileira actual, tenho uma profunda admiração pela velha guarda e pelos seus seguidores. É mágica a forma como os brasileiros conseguem passar para a música determinado tipo de sentimentos e ideias tão simples... simples também são os textos e as músicas, mas com uma congroência quase imbatível.

Sérgio




Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás

(Poema - Cazuza)


04 março 2009

Until the Morning Comes...

...mais uma vez fica adiado o relato das férias de neve... já lá vai um mês, eu sei!

Entretanto, embalem-se com um dos temas que costumo usar como "João Pestana"... o sono tranquilo é garantido!

Sérgio

p.s.: sim, o sonho mantem-se vivo... espero que não se torne apenas numa ilusão...



My hands ‘round your throat
If I kill you now, well, they will never know
Wake me up if I’m sleeping
By the look in your eyes I know the time’s nearly come
Wake me up ‘cause I’m dreaming
Well, they’ll never believe what’s been happening here
But caught in my mind there’s a way to get out

Wake me up ‘cause I’m dreaming
Well they’ll never believe it
So hush now, my babe, please don’t cry
Everything’s gonna be alright
Hush now, darling, I can hear you’re screaming
Let me hold you until the morning comes

So tell me this is what you want
You can whisper it soft or you can scream it out loud
‘Cause there’s still time to change your mind
But do it now before tomorrow comes

Wake me up ‘cause I’m dreaming
Well, they’ll never believe it
So hush now, my babe, please don’t cry
Everything’s gonna be alright
Hush now, darling, I can hear you’re screaming
Let me hold you until the morning comes

Until the morning comes

The light is fading
But the stars are dancing bright
My mind is racing like clouds across the sky
How did you make me go... this far?

(Tindersticks - Until the Morning Comes)