23 janeiro 2006

Há Dias Assim...


Há dias assim... já diziam os Rádio Macau (em Split, 1986).
Quando nos levantamos de manhã, mais valia à tarde, não sairmos à noite... Ontem foi um desses dias...

Levantei-me de manhã cedo, fui votar e segui para um passeio de moto com uns amigos. Destino: Ponte da Barca e Barragem do Lindoso. Tudo corria bem, a A3 sem trânsito deu para esticar um bocadito as máquinas, as estradas nacionais estavam também sem trânsito, o que permitia uma condução descontraída e a observação da paisagem, sempre fantástica por aqueles lados.

(A nova decoração, ainda que temporária, da Scarlet.)

Tudo corria bem, até que depois de ter passado por mais uma curva cheia de geada (e sabe-se lá que mais...) caí sem saber como nem porquê. Fizemos mais de 50 curvas molhadas (algumas com gelo nas bermas), sempre com cuidado, quase parados e fui cair depois de já ter terminado mais uma... é que não lembra ao diabo!
Possivelmente terei acelerado enquanto olhava pelo retrovisor para ver se os meus 3 amigos já tinha passado a zona crítica da curva - o que explica a viragem rápida da moto (meio pião) - e sem ter visto que continuava em cima de uma zona escorregadia... azelhice! Resultado, uns arranhões na carenagem inferior esquerda, a manete da embraiagem meia empenada, e pior de tudo, o selector de velocidades partido! Neste contexto estava impedido de prosseguir... é nestas alturas que ninguém imagina o quanto vale um telefone móvel e a assistência em viagem. Em apenas meia hora, o reboque estava a carregar a “Scarlet”, apesar de eu me encontrar em frente à Central Eléctrica do Lindoso, ou seja, quase em Espanha.

(Uma curva fácil, ainda que escorregadia e muita azelhice)

Nestas alturas o valor dos amigos é ainda mais inestimável. Os meus companheiros de viagem, Francisco, Tocas e Zé Alexandre, imediatamente chegaram até mim e enquanto eu só praguejava, levantaram a moto e acalmaram-me. Para dizer a verdade, estava num estado de fúria capaz de matar alguém só por ter caído de forma tão imbecil!
Entre o azar e a sorte, não tive nem um arranhão ou mazela. Também aqui, quanto vale andar bem equipado...

A caminho do Porto dentro do reboque, conheci o Sr. Fernando Pereira. Homem muito simpático e educado de 40 e poucos anos, também ele motard de muitos quilómetros, várias motos e três idas a Faro no CV. Um homem para o qual a vida não tem sido fácil, mas cujo optimismo vence tudo. Estava quase sem dormir porque acumula dois empregos ao fim-de-semana(!). Foi acordado por minha causa e ficou privado do almoço que a esposa lhe estava a preparar... mas nem por isso perdeu o bom humor! Explicou-me que o problema daquelas estradas não é a geada, mas sim o óleo e gasóleo, cujas manchas só nos apercebemos quando a estrada está seca. Pelos vistos é uma estrada muito frequentada por camiões...

(O Sr. Fernando Pereira ao volante do reboque.)

A conversa até ao Porto foi agradável e em Gulpilhares o Sr. Vítor da Motodinâmica recebeu-me em pleno Domingo à tarde, ficando a “Scarlet” abrigada na oficina (ao Sr. Vítor também o meu especial agradecimento). Depois o Sr. Fernando Pereira deixou-me em casa e prosseguiu viagem, ficando o convite para um passeio pela zona de Ponte da Barca. Mas mais para a Primavera, agradeci-lhe eu...

(Chegada à Motodinâmica.)

Estávamos a meia da tarde; resolvi ir até à praia almoçar e acalmar os ânimos... o mar sempre ajuda. Passado um bocado ligou-me o meu pai, que passou por casa, não viu o carro nem a moto e estranhou... lá tive de explicar o infortúnio e ouvir o quanto é perigoso andar de moto e que devia “...era vender aquela porcaria!”.

Mas ainda estávamos a meio do dia... Às 19h tive um jogo de futebol e ontem era dia de defrontar a melhor equipa do torneio (não fossem as outras já suficientemente boas e profissionais para o amadorismo dos “Líquidos Inflamáveis”). Entre jogadas de laboratório (que nós não temos), excelente jogadores e em boa forma física (que nós só temos 2, e eu não sou faço parte desse duo maravilha) e bom entrosamento dentro da equipa (que nós não temos), perdemos 21-1! Record até ao momento... Pelo menos não levamos nenhum amarelo, o que nos permite continuar a sonhar com a Taça do Fair Play!

Fui para casa naturalmente pouco animado, altura em que verifiquei que dificilmente “Acabado Silva” não ganharia à 1.ª volta... apesar do bom resultado de Manuel Alegre, neste cenário a causa estava perdida e só poderá mudar se nos ciclos eleitorais dos emigrantes, “quase todos” votarem nos outros candidatos que não o Prof. Cavaco Silva. O discurso de “José Trocaste” é mais uma vez controverso... mas a sua consciência deve estar bem pesada, porque caso não tivesse havido divisão interna no partido e com um só candidato PS, tudo poderia ter sido diferente. O PS sai descredibilizado por este facto, assim como o Dr. Mário Soares, que não merecia chegar a esta altura da vida e ser tão humilhado.

Enfim... Há dias assim...

Sérgio

11 comentários:

MT/JC disse...

Amigo, espero que estejas bem !!
que chatice isto que te aconteceu... mas não te magoaste e isso é que é importante !!
beijinhos e fica bem !!
e cá estamos para te acalmar...vamos ver outra vez o ZPG? lolol

CARMO disse...

Eheh! O espectáculo do José Pedro Gomes é inesquecível! Tal como as tuas gargalhadas, Martita! Bjs! Quanto a mim, vaso ruim... eheh!

Blogmaster disse...

Ohhh Pato... então arranhaste a Scarlet?

Não sabia do que se tinha passado até agora!

Isto de facto, há fins-de-semana, que mais valia dormirmos e só acordarmos com o mau humor de segunda-feira.

Mal por mal, prefiro esse mau humor, ao desenrolar de acontecimentos de alguns fins-de-semana... enfim... são vidas!

Blogmaster disse...

Já agora...

Vê se vais de vez a uma bruxa ou qualquer coisa... alguém te deitou mau olhado, de certeza...

Eu não acredito nessas coisas, mas já são coincidências a mais....

CARMO disse...

EHehe! Só o meu maninho para dizer uma coisa destas... Aos olhos de quem gostamos somos sempre os maiores... quando na verdade, em cima de 2 rodas (tal como noutras situações e por mais que tente o contrário) sou é uma grande azelha!

Nuno Gonçalves disse...

Caríssimo,

Não te conheço, mas sou igualmente motociclista por bandas mais a Sul e não posso deixar de manifestar aqui a minha solidariedade para com o sucedido. São coisas que nos acontecem. Azelhice? Olha, eu acho que acabamos todos, mais ou menos experientes por ser azelhas nesse momento. A verdade é que só depois de elas acontecerem é que percebemos o que aconteceu, porque se percebessemos antes, provavelmente não aconteceria.

Eu tenho um lema: existem duas categorias de motociclistas, os que já cairam e os que vão cair. Era bom que todos fizessemos parte do segundo grupo, mas infelizmente não é assim a realidade.

Por isso, deixo-te um forte abraço e as melhoras para a tua montada, já que, tirando o lado moral da coisa, tu estás bem.

Solariso disse...

Caro Sérgio,

Grande aventura. Certamente não terá sido um dia monótono e como pelos vistos continuas motivado para escrever, seguramente os dedos ficaram intactos.
Isso afinal é que importa.

CARMO disse...

Cara Nuno, eu prefiro estar no grupo dos que já caíram... ehehe! Percebi o que disseste.
Solariso, do mal o menos... foram só arranhões na moto... pena ter partido o selector de velocidades e não poder terminar o passeio...
Abraço!
Sérgio

Anónimo disse...

São daquelas quedas parvas que nem percebemos bem o que aconteceu...
Fico feliz por saber que não te magoaste muito para além de uns arranhões.
Fico também feliz em saber que ainda tens a scarlet pronta esta semana.
Espero que a reparação não te saia muito cara e que essas arranhadelas sarem rápido.

um abraço

Nietzsche

CARMO disse...

Obrigado Nietzsche!

Renato Frossard disse...

Oh, pobre Scarlet. Como ela está, passa bem? Teve que fazer algum transplante?
Fico feliz que você não se machucou.
Um abraço,
Renato