22 junho 2006

OPEN FOD ESCORT (II)

Depois da bicicleta que o Diogo Santos me “ofereceu” (6-0, 6-0) nos oitavos de final, fui transferido da competição principal para o torneio de “consolação”. Foi como abandonar o quadro principal de um torneio de ténis, mas ser repescado para uma competição secundária entre os derrotados desse mesmo quadro.

Ontem fui jogar com o Francisco Ramos para os oitavos de final da “consolação”. Estava à espera de um jogo sem história e de pontos rápidos, embora tivesse noção que o nível dos jogadores era idêntico. Surpresa! O jogo durou hora e meia e foi muito disputado.

O resultado final foi 6-4, 6-4 a meu favor, sendo os sets muitíssimo renhidos, com vários breaks de serviço e a só se decidirem no décimo jogo.
O 1.º set esteve empatado 4-4, tendo eu feito 5-4 no meu serviço, seguido de um break que me deu o set. No entanto, fiz inúmeros erros inqualificáveis, além de duplas faltas. Já o Francisco manteve um jogo seguro e coerente.
No 2.º set, a qualidade (que já não era uma referência), decaiu para um jogo mais seguro; o número de trocas de bola por jogada aumentou. O set teve 2 breaks, o primeiro do Francisco logo no 1-2. Depois do 3-3 e na sequência de um break meu, o jogo seguiu até aos 5-3. O Francisco ainda reagiu e no seu jogo de serviço fez 5-4, tendo eu fechado o set no jogo seguinte.
Acho que ganhei, só porque tenho melhor preparação física e me posicionei melhor do campo. Ontem consegui fazer inúmeros pontos na rede (nem parece meu!); já a minha esquerda esteve pela hora da miséria.

Mais agradável ainda foi a nossa conversa no fim do jogo, sobre os últimos passeio de moto e sobre os amigos.
Para mim foi também uma noite de folga... não estudei (nem imaginam o peso de consciência...).

Peso de consciência também porque durante a tarde pouco ou nada trabalhei; estive a ver o jogo de Portugal, que pouco ou nada (também) gostei. Portugal ganhou e é o 1.º do grupo: parabéns ao seleccionador Scolari! O mesmo não digo dos jogadores... Demonstraram uma falta de profissionalismo enorme, além de falta de atitude ganhadora e competitiva. É assim que querem chegar à final?! Devem estar a brincar... só pode! O México sim, mostrou vontade de ganhar e só não o fez por sorte de Portugal e demérito dos seus atacantes. Mesmo reduzido a 10 continuou a dominar o jogo. Que vergonha! E eu a pensar que os jogadores suplentes iam aproveitar (se calhar a única) oportunidade para mostrar o que valem, mas afinal... só mostraram que não valem. E ou são os habituais titulares a resolverem os jogos, ou estamos feitos... Acima de tudo, que imagem horrível e adormecida ficou de Portugal. Que falta de “fibra”... que falta de garra... que falta de vontade de jogar bem e de vencer...

Sérgio

3 comentários:

carla disse...

Sérgio, continuam a faltar fotos desses encontros desportivos;-) E vá lá, uma folga de vez em quando só faz bem, os neurónios tb precisam de descanso, Beijinho:)

CARMO disse...

ups... enganei-me... afinal ontem joguei os 4os de final... ESTOU NA MEIA-FINAL!!! ehehhe!

rosa disse...

Tás bonito, tás......

....PORTUGAL!PORTUGAL!.....

Beijinho