28 dezembro 2005

A Religião: ser ou não ser?... Crente...


Um dos maiores marcos na Religião Cristã é o nascimento de Jesus, simbolizado pelo Natal. Ora, como já constatamos no post do dia 23, tal não corresponde à verdade, sendo a tradição do Natal e da oferta de prendas é muito anterior ao ano zero... Posta por terra a tese dos Reis Magos, resta saber o que sobra das tradições cristãs na nossa vida actual e até que ponto, mesmo os crentes, ainda condicionam a sua vida por estes princípios. É que quase tudo tem outra explicação...

Entre Carnaval e Páscoa, duas datas cristãs, não me parece que alguém se abstenha de comer carne... eu não conheço ninguém! Da mesma forma, não conheço ninguém que jejue... Nem só às sextas-feiras isto acontece (versão light). E a frequência com que se vai à missa? Ou, ainda se vai à missa?! Nem ao Domingo (outra versão light)?!

Parece-me que a questão é mais profunda e prende-se mesmo com a ausência dos valores cristãos na mentalidade e hábitos quotidianos. Reparem que toda a dogmática da religião é baseada em sacrifícios, em obrigações, em privações, e especialmente, repressões. Toda este conjunto normativo destinou-se a oprimir o povo (Idade Média), tornando facilmente manipulável e dominável pelos senhores feudais (Clero, Nobreza e Família Real), que praticamente encabeçavam descendência divina, podendo estes fazer todo o tipo de tropelias e excepções a essa “Lei Divina” (eles próprios eram a Lei Divina e não só). Consequentemente, com o evoluir dos tempos e da liberdade de pensamento e expressão, foi fácil verificar que não havia razão para tanta opressão... Até porque, será que há vida depois da morte física?! Não será que isto soa tudo a conto do vigário?! Desculpem-me a heresia do eufemismo...
Por outro lado, as bases da religião são desprovidas de qualquer carácter lógico e científico; ou seja, só a Fé pode levar alguém a acreditar e respeitar esses princípios básicos: qual o sentido lógico que encontram numa virgem dar à luz um filho? E se um corpo desaparecer do tumulo? Dirão que alguém o removeu, ou que ressuscitou?...

É certo que ao longo da história, a Igreja deu uma protecção muito importante aos mais desprotegidos; mas não o Alto Clero. Esse Alto Clero esteve na origem de tudo quanto foi nocivo à Humanidade. A Inquisição e as Cruzadas (supostas guerras para proliferação da Religião, que se destinavam nada mais nem menos, do que a dominar e extorquir a riqueza dos outros povos, pela força) são bons exemplos disso... Muito criticável também parece-me a construção de templos sagrados, que tinham custos desmesurados para a altura e nível de vida sócio-económico das populações.

Nos últimos séculos temos assistido à intromissão cada vez mais descarada do Clero da esfera política e na busca da riqueza, poder, protagonismo e prestígio para os próprios. Por essa razão se observa a criação de tantas instituições de solidariedade à margem da Igreja e a desmistificação do carácter respeitável dos membros mais influentes do Clero, vindo a público fortunas pessoais e desrespeito generalizado pelo celibato (entre outras práticas mais... liberais). Sabiam que o Vaticano possui uma das maiores fortunas do Mundo? Porque não distribui-la pelos necessitados? Sabem quantas crianças morrem à fome por dia? Sabem quantas morrem por falta de cuidados de saúde, perante uma gripe, diarreia ou simples desidratação?

Em simultâneo, assiste-se a uma rigidez cega por parte do Vaticano, quanto a princípios básicos, como a questão da prática sexual exclusivamente para procriação, numa altura em que a SIDA arrasa de forma galopante a população, especialmente a africana. Que moral (se é que se pode falar em moral neste caso... haja bom senso!) tem a igreja para condenar a utilização do preservativo, quando em simultâneo, o próprio Papa comunica a todo o mundo que não permite a existência de homossexuais entre os sacerdotes?... Eu pensava que o Clero era assexuado... entenda-se, abstinente de práticas sexuais... ou será que apesar disso há espaço para as preferências? Do tipo, “gosto mas não como”?! Estão a ver Sua Excelência Bento XVI a dizer “...lá que dêem umas facadinhas no sacerdócio, ainda vá que não vá, agora paneleirices é que não!..”. Daqui a uns anos, outro Papa mais liberal dirá: “...meus amigos, ponho hoje fim à descriminação sexual entre os sacerdotes...”. Pelo menos acabava-se com a hipocrisia... objectivamente, porque é que a moral de alguém há-de estar no meio das pernas?!

Entendo que nos princípios morais religiosos há algo de importante a reter: o respeito pelo próximo. A nossa liberdade termina onde começa a dos outros... mas também não é preciso exagerar na opressão! Se Jesus Cristo existiu e a Religião Cristã pretendia o bem-estar e a felicidade de todos, pelo respeito mútuo, pela solidariedade e fraternidade, faz algum sentido construir normas de conduta tão severas e baseadas na repressão do comportamento? No terror do ajuste de contas final? Meus amigos, São Pedro não é o Director da Direcção Geral de Impostos! Não me parece pelo menos... parece-me sim que algo há de muito mal contado e a força da religião só se justifica pela ignorância das populações que durante muitos séculos estiveram desprovidas da capacidade de pensar. Até porque quem a adquirisse e exerce-se ia parar à fogueira... não se esqueçam que o Mundo é quadrado!

Mesmo assim há muitas coisas que não entendemos e para as quais apontamos uma justificação divina ou sobrenatural. Já para não falar que volta e meia vemo-nos “apertadinhos” e “pregámos aos santos todos”!
Mas que há algo de divino há! Pelo menos, nestas fotografias...



Sérgio

P.S.: fotografias retiradas do WEBSHOTS.

6 comentários:

diácono remédios disse...

Heresia Carmo!... vais ser excomungadozeze...

São Pedro disse...

Não gostei nada da comparação com o Paulo Macedo... vai pagar por isso! Ai vais, vais...

jc disse...

Parece que queres contribuir para que eu seja mais um desempregado a juntar ao 300/dia portugueses...

Berzebu disse...

Parece que te estou a bater aos pontos... hihihihi!

Dreamer disse...

Obrigado pelos comentários deixados no meu fotolog e nos dos meus heterónimos!!!
Aqui voltarei e não divulgarei....
Bom Ano

Blogmaster disse...

Eis um texto, que exprime o que há muito sinto sobre o assunto e não tinha palavras para o expor!
No meio disto só falta dizer que quanto mais se conhece este meio, mais dele se foge... quanto mais 'praticantes' são as pessoas, menos nelas confio... quanto mais moralistas, mais têm a esconder!
Excelente Post... do melhor deste blog!