09 dezembro 2005

Almoço de Natal da Via Romana - Parte II.

(continuação)

Já sentados à mesa, fomos brindados com um magnífico cabrito assado e papas de sarrabulho acompanhadas com rojões.
Na fotografia em cima, o nosso anfitreão e a sua esposa (ou ao contrário...). Aliás este casal é o exemplo perfeito de que a atitude motard mantem a juventude de espírito (e não só...). Digam lá que estes 2 não parecem ter menos uns bons 15 anos?!
Do outro lado da mesa (em baixo), entre os colunáveis, Carlos Ruivo (o verdadeiro gentleman), Presidente do Triumph Motoclube de Portugal, do Moto Clube do Porto e responsável pela nova concessão da Triumph no Porto (Motorcycles World... mais fácil de escrever do que pronunciar!!!).

O brinde de Natal não podia faltar... mesmo com água para alguns!


Já no fim do almoço (e que almoço), estando todos de estômago bem confortável, em tom informal e descontraído em pleno parque de estacionamento (fotografia em baixo), Armando Costa e Carlos Ruivo esclareceram o contexto da nova concessão Triumph, da posição da Via Romana e da Motodinâmica. Põe-se assim fim a alguns mal entendidos que criaram falsa polémica e comentários desagradáveis sobre a Motorcycles World, devido à participação do Grupo A.S. Motorrad, cuja fama de praticar preços altos de revenda e manutenção tem sido um entrave ao maior (ainda) crescimento das marcas que representa. Tive oportunidade de, perante os presentes (onde se incluiam 2 sócios da Motorrad), pedir desculpa pelos meus comentários publicados no fórum Triumph; como referi na altura, dou o benefício à dúvida e desejo o maior sucesso ao Carlos Ruivo e o merecido reconhecimento da Triumph em Portugal. Outras vozes interviram, mais pela negativa que pela positiva... o que se entende, porque a mudança "mexe" com os nossos amigos... e nestas alturas o coração fala sempre mais alto, independentemente da razão que se tem.

De animos mais calmos e coração mais tranquilo seguimos até Vila Verde, onde era dia de festa com procissão e banda de bombeiros a desfilarem pelas ruas. Podemos observar o centro da vila e passear para ajudar à digestão...

Um fim de dia bonito...

Na fotografia 2 distintos motards na rua príncipal de Vila Verde, que tive o prazer de conhecer e conversar.

A presença feminina dá sempre mais cor a estes passeios e mais uma vez esteve muito bem representada.

A agitação à volta da igreja típica dos dias de festa.

Tempo ainda para tomar um café (ou outra coisa) no Cadillac Bar.

Infelizmente eram horas de regressar a casa. O percurso foi feito já de noite e também em ritmo moderado, embora com um ligeiro sobressalto para mim, durante uma curva de acesso à variante de Braga, enquanto apertava o casaco: mau timing; massariquices de quem retomou as motos num passado recente... Espero que ninguém tenha reparado numa trajectória pouco comum, comparada com a excelência da condução do Carlos Ruivo, que seguia à minha frente na nova, linda, fabulástica Sprint ST.

De regresso à Área de Serviço de Santo Tirso era a "hora da despedida". Peço desculpa por ter tido de me ausentar imediatamente, mas um jogo de squash aguardava por mim e não gosto de chegar atrasado.

Foram 140kms e um dia muito agradável que só me faz ansear pelo próximo passeio. Até lá, fica a fotografia da minha "companheira" ao lado de uma lindíssima R6.


Sérgio

6 comentários:

valentino rossi disse...

Oh... vocês não andam nada!

randy mamola disse...

Então o Carmo... está mais enferrujado que um cargueiro com 50 anos... sabem porque é que lhe continuam a chamar "Curvas Loucas"?! Como o gajo não guia nada, fazer qualquer curva com ele é loucura absoluta! Então amigo?... Não há slides, nem cavalinhos?... Não te estou a conhecer...

wayne gardner disse...

O quê? O Curvas Loucas?! Agora nem rectas loucas! Depois de ter espatifado a VFR já nem dá 200 à hora em Fernão Magalhães... ou no tunel da Av. de França... também já não tunel...

CARMO disse...

É verdade... é mesmo uma vergonha... mas pior ainda é o facto de já nem vocês fazerem isso! Ehehe!

jap infiltrado disse...

Parabens, tens uma crónica que resume muito bem o belo dia passado ao lado da "lingerie".

cali disse...

tudo bem... CADILLAC BAR ...! Boa idéia!
Turma divertida!
SÓ QUE o carro é um Ford Fairlane 1961.Em 1961 esse Ford e o chevy Impala custavam perto de US$1.800, enquanto um Cadillac + simples custava de US$4.800 a 7.500(conforme o modelo)