15 maio 2006

Passeio na Serra da Freita.

Depois de uma semana pejada de conversas no MSN sobre onde vamos, quando, a que horas, onde nos encontramos, quem vai... acaba por sair tudo destorcido, mas pelo menos houve passeio!

Chegado ao ponto de encontro às 10 da manhã, com a Rosa, impõe-se uma pergunta: onde está toda a gente?!
Fui levantar dinheiro e entretanto apareceu o Tiago com mais 2 amigos, Bruno e Seixas, noutra moto (Shadow 800). Estava a levantar dinheiro quando ouço o trabalhar inigualável de um tri-cilíndrico alimentado a carburadores, em alta rotação! Só poderia ser uma pessoa: o Zé Leonardo e a magnifica Trident. A coisa estava a compor-se... Mas do Tasnafila não havia sinal... entretanto, o Tiago avisa-me que ele provavelmente ia matar alguém, pelo que não viria (não sei qual é o significado desta expressão... mas...). Quanto à Texe, mais complicado... um sms indicava que havia muito que esperar... estas teenagers vão para a queima e depois... uma hora à espera da menina. Mas em abono da verdade, ela não teve culpa nenhuma... ninguém se lembrou do fuso horário entre o Porto e Ermesinde! Descobrimos depois que um motard por ali parado iria juntar-se a nós (o Pedro), mas também ele esperava pela Texe (já tinha repadado na magnífica Caponord ali estacionada). Enquanto esperávamos, o Zé Leonardo aproveitou para fazer mais umas intervenções na bela máquina verde inglês.

11h00 e finalmente abandonamos a Praça Velasques (ou melhor, Dr. Francisco Sá Carneiro). Seguimos até à bomba de gasolina do Freixo (há quem chegue atrasado e sem gasolina...), para depois calmamente percorrermos a estrada de Entre-os-Rios.

(Pedro, Pedro e Texe, Rosa, Zé Leonardo, Tiago, Seixas e Bruno,)

Atravessámos o Rio na barragem e depois falhamos o desvio para Castelo de Paiva. Inversão de marcha e uma vez avistado o desvio, já era tarde de mais, pois o Zé Leonardo ia à minha frente e o resto do grupo bem mais lá atrás... Mais tarde verifiquei que ainda bem... a estrada em causa, da qual fizemos um pequeno percurso final, não era grande coisa e o passeio pela marginal do Rio Douro é sempre bem mais interessante.

Paragem em Castelo de Paiva para matar a sede (a nossa). Regressamos às motos, mas a “bandida” do Tiago não estava numa de andar... já tinha ido abaixo duas vezes e acusava falta de corrente por mau contacto. Um fio traçado concerteza... tese que se viria a confirmar alguns segundos depois, já que o Zé Leonardo imediatamente esventrou o isolamento da cablagem! O Tiago foi comprar fita isoladora (num dos muitos supermercados abertos num Sábado às 13h30, naquela praça!) e o mesmo Zé Leonardo, num ápice, encontrou um cabo eléctrico no chão (junto a um quadro eléctrico no jardim) e procedeu à emenda do fio traçado. Para algumas pessoas tudo é fácil e simples!

(Zé Leonardo em acção! Motos japonesas... eheheh!)

Tudo na estrada em direcção a Arouca. O passeio era agradável e algumas das curvas proporcionavam o meu afastamento e do Zé Leonardo do grupo (especialmente do Zé Leonardo e normalmente com uma roda no ar!). Numa das vezes que abrandamos (e até paramos) para aguardar pelo grupo, um automóvel pára ao nosso lado e diz-nos que um dos nossos colegas caiu...lhe a viseira e anda à procura dela. Os escassos décimos de segundo entre o “caiu” e o “lhe” foram suficientes para me perfurar o estômago... Depois de ouvir a história da viseira, logo descontraímos e pensamos: mais uma partida da Texe!

(Reagrupamento... tempo ainda para apreciar o fantástico assobio tecnológico emitido pelo depósito da Trident.)

Passagem por Arouca e aí vamos em direcção a Alvarenga... os famosos bifinhos por nós esperavam e a fome era negra! Deparámos com a estrada mais fantástica do passeio: curvas fantásticas em bom asfalto; boa visibilidade; e uma paisagem incrível. Pensei que me iria sentir condicionado por levar outra pessoa no lugar de trás, mas não. A Rosa que já não andava de moto há 15 anos estava a gostar das curvas e acompanhava muito bem os meus movimentos, balançando a moto e criando a sensação que a moto curvava quase sozinha. Cheguei a ver o capacete da Rosa a menos de meio metro de um rail, pelo retrovisor direito! Altura em achei que deveria abrandar... Menos satisfeito parecia vir o Pedro, que vinha na Hornet com a Texe; quando parávamos parecia-me sentir pânico nalgumas das suas expressões... seriam as famosas curvas da Texe?!... A mim consolam-me só de as ver!
Mesmo a chegar a Alvarenga, passo numa viela e vejo o Zé Leonardo ao lado de uma Nissan Primera a conversar com 2 homens: como é que aquele gajo descobriu a GNR naquele quelho? Voltei para trás e não era a BT, felizmente! Entretanto o resto do grupo chegou e obtivemos indicações de onde comer uns bons bifes (àquela hora tudo era bom!). O “Zé (Mota) dos Bifes” recebeu-nos muito bem, apesar de serem 15h00 e tratou-nos melhor ainda!
(Sugestão: não deixem de passear por esta estrada e almoçar neste restaurante.)

(A Rosa: a candura no nome revê-se na pose...)

(A fome era muita, mas não suficiente para fazer frente a todos os " bifinhos" de Alvarenga.)

(O Seixas ainda vai fazer um filme dos nossos passeios!)

Saídos do restaurante já às 17h00, e depois de muita especulação sobre onde íamos dar um mergulho e em que trajes... ou sem que trajes, dirigimo-nos até à Mizarela, na Serra da Freita. Repetimos a mesma estrada até Arouca (sabe sempre bem!) e fizemos um trajecto bastante agradável, passando pelos geradores eólicos e pelo alto da Serra da Freita, muito plano, e que cria uma sensação de imensidão indescritível (atenção que o asfalto aqui não dá para confiar...).
Parados no miradouro da Mizarela pudemos apreciar a tranquilidade e serenidade que a aquela paisagem nos transmite. O silêncio... a imensidão... a imponência dos montes.

(Zé Leonardo, Rosa e Pedro.)

(A Frecha da Misarela... alguém me explique este nome... Mais interessante do que a admirar é desce-la em rapel.)

(Silêncio...)

(Imensidão...)

(A boa disposição da organizadora! Zé Leonardo, Rosa, Texe e Pedro, Pedro)

Depois de umas gargalhadas estava na hora de arrancar. O Tiago, o Bruno e o Seixas tinham de regressar ao Porto, enquanto que as outras 4 motos seguiram em direcção a Tabaçó, a aldeia onde dos pais da Texe têm uma casa muito agradável, e que a convite da própria fomos visitar. Fomos muito bem recebidos pelos pais da Texe. Trataram-nos e mimaram-nos muito bem com cervejas, gelado, bolachas, e especialmente, vinho verde, salpicão, azeitonas e mel produzidos pelos próprios. Ali ficamos a ver o sol pôr-se e a absorver a tranquilidade do cenário quase bucólico, proporcionado pelo belo varandim daquela casa de aldeia. Um privilégio!

(O magnifico e solarengo varandim.)

(A dona de casa em acção; até sabia onde estavam as coisas!)

Ora de partida, infelizmente... regresso ao Porto sem história, por estrada nacional e AE. Despedida em frente ao Velasques, com todos bem dispostos e sem vontade de nos separarmos, apesar de já serem 22h00. Um grupo excelente, ao qual agradeço a companhia e que espero rever num futuro próximo.

Sérgio

13 comentários:

Rosa disse...

Eheheh
A candura agradece a todos e especialmente a ti pelo passeio espectacular! Aproveito para te dizer, pois esqueci-me, que gostei da tua condução... cauteloso(ainda bem)mas atrevido e aventureiro.
Adorei as curvas!E ainda bem que apesar de ter sido a pendurada, não tiveste razão de queixa.
Beijinhos
RN

P.S. Texe, obrigado pelo acolhimento em tua casa, tens uns pais muito simpáticos e pelas meias que estão a secar.

rosa disse...

Rectifico:
Pendurada não. PENDURA!
Bjs

tasnafila disse...

Tenho muita pena de não vos ter acompanhado. E eu que até sexta demanhã andava todo entusiasmado. Era desta que a "moto XeXual" ia a um passeio e regressava pelos seus próprios "pés". Mas no sábado por imperativos profisionais fui dar uma de cobrador. Eu por acaso conheço a zona e é muito bonita. Fico agora à espera de um nova oportunidade para vos fazer companhia. Um abraço a todos. ;)

SataN disse...

Excelente passeio... E eu já por lá andei.

Take a look...

http://www.motonline.pt/left/clube_motonline/forum2/forum_posts.asp?TID=13628&PN=1&TPN=1

Abraço

Tiago Monteiro disse...

Adorei, como sempre a companhia é 5 estrelas. Abraços a todos.

Texe disse...

Aproveito as palavras deste nosso piloto para dizer que achei o passeio fabuloso em todos os "C's"entidos:
Companhia;
Curvas;
Comida.

Serge: Grande crónica! e grandes curvas (tb apreciei as melhorias pós-estoril!eheheh - sem desfazer a contribuição da Rosa, claro!)

Tasnafila: Foi uma pena não teres vindo!

Rosa: Ainda estou à espera das importantíssimas meias!! Já secaram? Têm saudades minhas? lol (Não te preocupes!!!)

Pendura: Já vinhas aqui defender a minha fama e dizer que não tiveste medo!!.. (tirando o regresso na IC1)

Companheiros de passeio: Até ao próximo!

Beijinho enorme para todos!

Pedro disse...

Bem, agora que já recuperei parcialmente as minhas capacidades de expressão, cá vão os comentários:
1- Muito obrigado a todos por aturarem o "Outsider" que não percebeu metade das conversas (eu também acho que YKT é muito melhor a curvar do que a ZXT mas que raio será uma hayabusa?) mas que gostou muito do passeio...
1.a- Obrigado especial à Té por fazer a parte mais difícil: o transporte
2- A paisagem era mesmo muito boa... ainda não me tinha apercebido ;-)

e por último...

3- As já muito faladas curvas da Té não causaram pânico nenhum ao pendura (foram perfeitas). O problema foi mesmo a
viagem de regresso aonde a Honda XKKXX passou a barreira do som e aproximou-se perigosamente da velocidade da luz...
eu pelo menos já via tudo aos risquinhos como no caminho da estrelas e cheguei mesmo a temer pelo pão com mel acabado
de ingerir!

Mais uma vez obrigado a todos por um dia muito bem passado...

CARMO disse...

Grande Pedro!
Gostei muito de te connosco e estiveste lindamente! O resto é sensionalismo jornalistico... além do mais as "curvas" da Tê são perfeitas!

Grande abraço e espero contar contigo no próximo passeio... independentemente da forma como vieres...

Sérgio

CARMO disse...

Pedro, esqueci-me de te dizer: hayabusa é um falcão capaz de voar a mais de 300kms/h.

Rosa, não só não tive razão de queixa como adorei a tua companhia e performance no que concerne a curvas...

Tiago, tu e o teu humor estiveram em grande e a tua bandida proporcionou um momento de grande adrenalina! Chamo ou reboque?! Não chamo o reboque?!

Texe, obrigado pelo simpático comentário e pela forma tão carinhosa com que os teus pais nos receberam.

Beijinhos e abraços!

Bruno disse...

Nao sei se foi por ser o meu primeiro passeio...mas gostei muito, principalmente quando ao fim de quase 10 minutos a procura da viseia da Texe, se foi encontrar a mesma no meio da estrada mesmo a olhar para nós a procura-la no meio dos arbustos.hehehe...
O que posso lamentar deste passeio???
Foi o facto de eu (infelismente) nao vos conseguir acompanhar a comer aqueles (visivelmente) apetitosos Bifes.Gostos nao se discutem, eu cá preferi umas costuletas.
O resto... como na cronica o transmite ... foi fantastico.
Obrigado a todos este belo passeio.

Bruno Barros

Tiago Monteiro EL GRANDE (em todos os sentidos) disse...

Rosa, espero ver-te mais vezes e gostei da tua companhia! também escolheste muito bem a relação piloto/máquina.

Pedro, gostei muito de te conheçer!!! Mas tenho de ser sincero, a tua escolha não foi tão brilhante como a da Rosa. hehehehe Té safa-te desta (a brincar, a brincar). Mas essa da Hayabusa não, o meu pequeno grande sonho motorizado!!!!

Como disse o sérgio o falcão hayabusa é um falcão encontrado maioritariamente no japão (essa terra de GRANDES MOTAS) que pica sobre as suas presas a 340km/h, mas o que eles se referem é à Suzuki Hayabusa(sim MOTA JAPONESA MR. Curvas Loucas com a Sua Triumph semi nazi*), sendo a mesma a verdadeira RAINHA DAS MOTAS.

Por curiosidade, o nome escolhido para esta mota não vem só da velocidade a que pica sobre as presas ser igual à sua velocidade máxima, mas também por ser o único predador conheçido do falcão blackbird (sua arqui-rival da Honda a 1100XX Super Blackbird. perdoa-me Tás Na Fila).

Bem como sempre adorei tudo e todos. Olhem para mim como um ser bisexual que gosta de voçês todos (sem a parte de vos querer "comer/ser comido") afinal desta maneira é muito mais difícil não ter encontro numa sexta à noite hehehhe.

*-private joke, não leves a mal! gosto de pegar contigo Sérgio. E temos de admitir que os Ingleses são um bocado elitistas hehehe mas a tua mota é fenomenal.

CARMO disse...

Grande Tiago!

Não levo nada a mal... até sou um fã do teu humor (e tb gosto da tua moto!).

Os ingleses são elitistas, no bom sentido da palavra... acho eu (ao contrário dos franceses)! A Hayabusa é uma das minhas motos favoritas; pena é não conseguir acompanhar o falcão cujo nome lhe deu origem! Mal chega aos 300 kms/h... o que é de facto uma massada... mas sempre dá para passar a XX! Aliás, não percebo como é que se põe numa moto tão rápida (apesar de tudo), a designação do cromossoma feminino... já sei, já sei... podem-se acalmar as meninas... o cromossoma masculino (XY) é um XX defeituoso, ou seja, sem uma perna... ironia do destino! Não deveria ser ao contrário?... nem a ciência é perfeita!

Abraço!

Yoss (Leonardo) disse...

Olá a todos só agora tive oportunidade de ver o Blog e já me rí com as observações de uns e de outros, gostei muito dos bocadinhos que por lá se partilharam e fico á espera de outros que se possam partilhar. Obrigado a Todos.