05 maio 2006

Curso de Condução no Autódromo do Estoril.

No dia 30 de Abril estive no Autódromo do Estoril a fazer um curso de condução de moto. Vi o anúncio no Motonline num post do Kawa-Mig e pensei logo em fazê-lo. Porquê? Aprende-se sempre mais do que sabemos e corrigem-se manias e maus hábitos; e como em tudo, quanto mais soubermos melhor... Além da ideia de andar no autódromo me fascinar só por si, 10 anos sem praticamente andar de moto, não me retiraram as experiências vividas e isso pode sentir-se na estrada, nas viagens, etc.. Já em termos técnicos de condução, comecei quase do zero, quando há dois anos e meio comprei a VFR. Muita coisa mudou: as motos são diferentes, os pneus muito diferentes e estou ainda mais diferente que tudo o resto... A idade traz-nos medos e consciência de risco, o que interfere naturalmente na descontracção com que guio, o que por sua vez condiciona a eficácia das técnicas de condução.

Depois de ter combinado com o Satan (este nosso companheiro não foi fazer o curso, mas fez-nos companhia e tirou muitas fotografias; diga-se de passagem, no caso dele, fazer o curso para quê?!), que gentilmente me convidou para ficar com ele na casa dos sogros no Barreiro, encontramo-nos na área de serviço de Leiria no Sábado ao fim da tarde. Tempo para beber qualquer coisa (estava cá um calor) e ver os nossos amigos da BT com um radar em cima do viaduto sobre a AE, num sitio em que a velocidade de nada interessa (depois vêm-se queixar que há muitos acidentes e que os recursos são escassos, a crise económica blablablablablá...). Seguimos até à área de serviço da Vasco da Gama onde nos encontramos com o Tango (e a sua nova K1200S linda de morrer...) e amigo cujo nick de momento de escapa (sorry meu!). Vieram ter connosco ao Barreiro ainda o Kawa-Mig e o Alfarrábio. E depois de umas cervejolas, lá fomos nós para mais uma animada jantarada (que grande fogareiro!).

Já em casa dos sogros do Satan, havia que dormir depressa... a alvorada estava marcada para as 6 da manhã. Fui recebido de forma extremamente acolhedora e simpática e dormi pouco mais muito bem! Foi daquelas situações que por muito que agradeçamos às pessoas que tão bem nos recebem, ficamos sempre sem saber se algum dia poderemos retribuir a amabilidade. Tive o prazer de conhecer o simpático casal pela manhã (ou melhor dizendo, madrugada). A vista de Lisboa e da Ponte Vasco da Gama é realmente um privilégio!

Combinamos estar às 7h30 na bomba de gasolina de Oeiras, para atestar os depósitos, pois muito kms nos esperavam dentro do autódromo, lubrificar correntes e tomar o pequeno-almoço (sem o qual não sou nada...). Quando chegamos já lá estavam o Alfarrábio e o Soundwave, e logo a seguir chegou o Kawa-Mig (grande pró, com a moto no atrelado).

(Convivio matinal no autódromo.)

Enfim no autódromo encontramo-nos com o Rui Moskito e deparei com o cenário inédito: para começar a imponência do autódromo do Estoril! Havia mais de 60 pessoas para fazer o curso ministrado pelos espanhóis da Poolbox; a maioria tinha motos preparadas para circuito (sem retrovisores, piscas, matrícula, guarda-lamas traseiro, ou mesmo faróis dianteiros, e com cogumelos) e transportava-as de atrelado. Arrisco dizer que havia mais espanhóis que portugueses entre os instruendos. Por lá rodaram algumas preciosidades bem adaptadas aos circuitos: Aprilia 250 a 2 tempos; VFR 400; e muitas, muitas RRs. Havia mulheres a fazerem o curso! Estive a falar com uma delas (espanhola), que me disse que não andava de moto na estrada... só em circuito!

(O Alfarrábio e o Soundwave)

Perante aquele aparato todo de artilharia, cedi à oferta do Satan que me aconselhava a usar o blusão e as luvas dele, com vista a estar mais protegido do asfalto abrasivo do autódromo. Muito lhe agradeço por isso... felizmente não foi necessário comprovar a protecção acrescida do equipamento dele face ao meu, mas por lá vi quem tivesse contactos imediatos com o referido asfalto.

(O Alfarrábio e eu... os roockies do grupo!)

Rapidamente se tratou da papelada: passagem pela box para alterar as pressões do pneus; de seguida um pequeno briefing sobre como iria decorrer o dia; divisão dos instruendos em 8 grupos (4 rápidos e 4 lentos – eu e o Alfarrábio não tivemos dúvida em que deveríamos alinhar no mais lento, enquanto o Kawa-Mig, Soundwave e Rui Moskito alinharam no mais rápido dos lentos) e finalmente, PISTA!!!

(O Tiago Dias, o meninio prodígio de 17 anos, também por lá andou... a treinar e se calhar a aprender alguma coisa... duvido!)

(Uma beldade espanhola em cima duma Aprília 250 2T... e olhem que ela andava bem!)

As mangas eram de 15 a 20 minutos com outro tanto de descanso, altura em que o monitor conversava connosco, apresentava o que pretendia fazer, dava sugestões e respondia ás nossas dúvidas. O monitor começou por rodar muito lento; foi perceptível no entanto, que o autódromo é mais estreito e as curvas bem mais fechadas do que parece na televisão, ou visto de fora. O Alfarrábio com os seus 8 meses de carta foi a revelação do dia, adaptando-se lindamente desde a 1.ª curva (agradeço-lhe as sugestões que também me deu nos intervalos). Já eu nem por isso... a Scarlet teimava em sair de frente, o que não me dava confiança absolutamente nenhuma para imprimir um ritmo mais vivo (cheguei mesmo a ter um sobressalto no 2.º “s”). Revista a posição de condução e alguns aspectos técnicos, de novo na pista, mas as melhorias eram poucas... De novo em conversa com o instrutor, comecei a alterar a afinação da suspensão e neste filme andei a manhã toda entre a pista e a box. Na última manga da manhã finalmente a Scarlet estava no ponto e começaram as curvas loucas! Mais do que tudo, começou o prazer de curvar de fora da moto e em aceleração pronunciada. O grupo dos lentos ficara reduzido a 3 motos... humilhante! O Alfarrábio já havia passado para um grupo mais rápido e eu era o 3.º mais lento em pista. Felizmente ao longo da manhã as coisas foram mudando e na última manga da manhã o meu grupo já circulava praticamente à velocidade dos dois seguintes.

(Novamente o Alfarrábio e eu; agora nas primeiras curvas!)

O dia esteve esplendoroso e só foi pena o Kawa-Mig ter caído (curva VIP)... os estragos foram alguns e não pode prosseguir “em prova”. Arrastou com ele outra alface que parou na gravilha... apenas com uns arranhões, pode continuar o dia. Algum tempo depois foi a vez do Rui Moskito cair (à saída do 2.º “s”... já não ia ao chão há 12 anos!), mas também sem danos de maior, prosseguiu o dia normalmente. Antes da última manga da manhã, o Satan reparou que o pneu de trás da Scarlet estava bem esfarelado e utilizado em toda a sua superfície... o alcatrão do autódromo não perdoa e eu estava lá para me divertir (as dicas do Satan ajudaram a isso também)! No entanto, tive sempre uma grande preocupação de contenção... É que eu tinha de ir de moto para o Porto! Não me apetecia também arruinar mais a minha conta bancária, pelo que joguei sempre muito pelo seguro... agora acho que podia ter arriscado mais... mas segurança foi a palavra de ordem. Uma queda lá dentro pode ser complicada: para começar, não há seguros... cada um por si e não interessa de quem foi a culpa. Também não há assistência em viagem para rebocar a moto... E se na 1.ª parte da manhã a suspensão condicionou o meu andamento, a partir da última manga (da manhã) metia-me alguma confusão o pneu de trás estar a ser usado até ao limite (sem os avisadores terem tocado no chão... só a bota esquerda), enquanto o pneu da frente tinha 2 cms de cada lado por usar... De qualquer forma, na esquerda a seguir à recta interior e na parabólica anterior à meta, sentia-me incrivelmente perto do chão e a deslizar! E a sensação era fantástica!

(Kawa-Mig, Ruimuskito, "o desgraçado que caiu por causa do tombo do Kawa-Mig" e o Soundwave.)

Depois do almoço, a 1.ª manga era livre... e senti a falta do monitor! Faltavam-me os pontos de travagem e o momento em que deveria atirar a moto para dentro da curva.

Nova manga com o instrutor, que me elogiou de não ser o mesmo que havia comparecido de manhã... LOL!

(Um ganda maçariço que por lá andava...)

Seguiam-se 3 mangas livres, embora o instrutor se mantivesse pela box para esclarecer dúvidas e ajudar-nos em qualquer coisa. Nestas mangas conheci o prazer de fazer ultrapassagens! O meu único receio eram os mais rápidos; se por um lado não queria atrapalha-los, também não queria levar com nenhum em cima... Na última manga, depois das duas primeiras voltas, abrandei propositadamente o ritmo e concentrei-me apenas na técnica de curva. É que nessa manga dei por mim a sair das curvas já com as rotações do motor próximas da red line; saí da parabólica a 140 kms/h (quando de manhã saía a 100 kms/h) e passei na linha de meta a 220kms/h). A travagem no fim da recta da meta e a 1.ª curva são também uns dos momentos mais deliciosos do circuito. Entretanto muitos dos instruendos abandonaram a pista: alguns por receio de encontros imediatos com os mais rápidos, outros por cansaço... no final do dia a Scarlet acusava quase 220 kms percorridos dentro do autódromo.

(Kawa-Mig antes de ter caído pela 2.ª vez consecutiva em 2 anos no autódromo... pouca sorte...)

(Ruimuskito em grande estilo! Se bem que o vi passar por mim bem mais "deitado"...)

(Soundwave em excelente performance)

Gostei muito de fazer este curso. Acho que aprendi muito em termos de técnica de condução e em percepção das reacções da moto. Sinto-me agora muito mais descontraído e seguro a guiar. Sem dúvida, os 240€ foram muito bem empregues!

(O fotógrafo de serviço, sempre bem acompanhado!)

Fiquei francamente surpreendido com o profissionalismo dos espanhóis. O curso correu muito bem e com todas as estruturas e apoio que foi necessário. O ambiente era muito bom, divertido e descontraído. Apenas faltaram mais bolachas...

(Os apoiantes sempre bem dispostos!)

No final do dia estava realmente satisfeito. Arranquei com o Satan em direcção a Coimbra, onde havíamos marcado um jantar com a Cristina, o Vítor Sousa e a Dulce. Jantar aliás muito agradável (que belo leitão!); mas devido a um acto inadvertido do Vítor Sousa no fim do jantar, a vingança tarda mas não falha... Ainda por cima, depois de abastecer, não o encontrei no caminho até ao Porto...

Cheguei a casa bem menos cansado do que esperava... as minhas cadelas fizeram-me um recepção que acordou a vizinhança inteira nos dois quarteirões circundantes. Deitei-me era uma da manhã com consciência de ter vivido um episódio inesquecível... Venham mais destes!

Sérgio

8 comentários:

welcome2marte disse...

deve ter sido só adrenalina :)
gostei ndo post, mas ouvir te a contar foi bem melhor :)
parabéns pela coragem!

SataN disse...

Bahhh... Se não fossem as minhas dicas não tinhas passado dos 120km's/h. :) (kidding)
Estiveste bem, Sérgio... Aliás, muito bem. Pena é ainda haver pessoas que não compreendem que também temos gozo no andar devagar e ao nosso ritmo. Não é andar devagar, é andar mais devagar que outros. Mas como isso é cagativo... Parabéns, puto. Estiveste muito bem.
Pode ser que para o ano eu vá "ensinar" alguma coisa a certos cagões :) (se no entanto perder este medo terrivel de andar em pista)

Anónimo disse...

Que dia cheio de emoção e adrenalina! Até custa a acreditar que não tivesses ficado bem cansado!
Não tem nada a ver, eram carros, mas algumas fotos fazem-me lembrar que estive lá...muito fixe...
RN

Blogmaster disse...

Para além de um post espectacular, as fotos estão magnificas!

Só dá vontade de lá ter estado!

Grande reportagem :)

FranciscoVFR disse...

Certamente um dia bem passado!
Talvêz um dia também eu faça um curso desses.
O importante é teres dado o teu dinheiro por bem empregue.
Pelo que dizes, foste para Lisboa e regressaste nos mesmos dias e à mesma hora que eu. Espero não ter sido apanhado no tal radar...
Abraço,

tzracing disse...

Fico contente de terem gostado de andar em pista.

Mais ainda pela noção mais exacta que têm agora das vossas motas!

Infelizmente não pude assistir por causa do trabalho, mas numa próxima oportunidade, la estarei.

Anónimo disse...

Olá,ainda bem que gostas-te deste dia emocionante e agradável,eu apesar de ter caido,até gostei,agora sei qual é a sensação!!!!Gostei de falar contigo,és baril e sempre bem disposto,boas curval(loucas).

psac74 disse...

Acho que me vou tornar motard, tendo em conta a bela esponhola em cima da Aprillia!