13 setembro 2008

With The Breaks On...

Há alturas na vida em que parece que nada resulta, nada acontece, nada flui... como se algo nos estivesse a prender...

Os astrólogos dizem que é a presença de Saturno... sinceramente, acho que somos nós a complicar. Felizmente já passei por isso e já vai longe!

Sérgio



Driving through the long night
Trying to figure whos right and whos wrong
Now the kid has gone. I sit belted up tight,
She sucks on a match light, glowing bronze, steering on.
And I might be more of a man if I stopped this in its tracks
And said, come on, lets go home. but shes got the wheel,
And Ive got nothing except what I have on.

When youre driving with the brakes on
When youre swimming with your boots on,
Its hard to say you love someone
And its hard to say you dont

Trying to keep the mood right, trying to steer the conversation from
The thing weve done.
She shuts up the ashtray, and I say its a long way back now hon
She just yawns. and we might get lost someplace
So desolate that no one where were from would ever come
But shes got the wheel and Ive got to deal from now on.

But unless the moon falls tonight, unless continents collide,
Nothings gonna make me, break from her side.


(Driving with the breaks on - Del Amitri, Twisted - 1995)

5 comentários:

EU disse...

a pensar que ia encontra um post da madonna!!

bjs zonzos ;-)

angel disse...

Só atrais até ti aquilo que tu provocas...

debbie disse...

Só a perda abre caminho para o novo,
e o novo é sempre fascinante.

Mas o fascínio também se perde,
e então eu preciso de um novo novo.

E assim por diante.

Acontece que sou sempre tentado
a iniciar um processo de perda vitoriosa
de todo objeto amado,
porque em mim existe uma infinita vontade
de mais amar
aquilo que começo a perder.

Para que não ocorra o apego,
a massacrante ditadura do apego.

Então, quanto mais a perda se instala,
mais eu tenho
a contraditória certeza
de que amo aquilo que passo a perder.

É a vida em constante movimento.

Tudo se transforma.

Tudo se modifica.

Só o que está morto não se perde.

CARMO disse...

Debbie, não sei quem és... mas parabéns!

débora disse...

Obrigado, mas não mereço os louros.
O texto não é meu, apenas o copiei porque traduz na íntegra aquilo que penso.