03 novembro 2005

Paixão: a Cor da Vida.


Será que estes dois estão apaixonados?! Acho que sim! Parecem pelo menos...
Se ontem o tema foi AMOR, hoje de paixão se trata.

A paixão é no mínimo eloquente!
Tem o dom de nos fazer sentir os dois extremos e em simultâneo... por um lado, a mais louca e viva das felicidades; por outro, a profundidade da tristeza e o peso da depressão.
Vivem-se assim um misto de facetas muito intensas, em que ora tudo é bonito e colorido; a música soa melódica e fascinante; a vida é toda ela cor, animação e adrenalina, como se de uma gargalhada escancarada se tratasse, intervalada por sorrisos constantes e que me dão uma sensação de charme, felicidade, boa-disposição e bem-estar únicos, inigualáveis, inexplicáveis. Esta faceta torna a vontade de viver o mais saudável dos vícios. Morrer seria o pior dos pesadelos... abdicar de todas as maravilhas que a vida me pode proporcionar e cujo tempo não chega para as usufruir plenamente.
Mas por vezes há momentos difíceis, cinzentos, vazios... Somos invadidos por um vácuo, que apenas nos faz sentir pequenos, insignificantes. Por vezes este sentimento é melancólico e devastador... faz-nos ter vontade de morrer; morrer e desejar que ninguém note ou sinta. Acima de tudo uma vontade de desaparecer, estar sozinho, não ver ninguém. Nem mesmo a pessoa por quem nos apaixonamos! Uma vontade poderosa de fugir, adormecer profunda e longamente, mas sem sonhos.
Sim, porque sonhar faz parte do outro cenário. Sonhar muito, sonhar acordado o dia todo.
Este é o impacto ou o reflexo da paixão. E para passar de um extremo ao outro basta uma reacção da pessoa eleita, que teve o dom de existir e fazer-me apaixonar por ela.
Será que os prós compensam os contras? Nem é questionável... E é por isso que vivo sempre apaixonado por alguém, ou pelo menos, por alguma coisa! Talvez isso se explique o lado sonhador inato e apaixonado inveterado... estou viciado na arte da ilusão de me sentir no meu melhor; de bem com a vida e com tudo e todos; sentir o “natural high” a todo o momento; o charme e o ego no auge... estou viciado e já não sei viver sem isto! É como respirar!
Este é o grande dom do sexo feminino; agradeço-vos só pelo facto de existirem e me transmitirem toda esta motivação para viver: energia positiva sobre a forma de paixão. Reparem que a paixão pode ser inócua: pode começar com o fascínio que por vezes sintimos quando conhecemos alguém, e que inevitavelmente nos faz incorrer num esforço desproporcionado para a conhecer. E neste contexto, é alucinantemente delicioso e sedutor o dia-a-dia. Fica-nos gravado na mente, e para sempre, a eloquência desses dias: as cores, os odores, as músicas, os sorrisos, os carinhos repentinos e momentâneos, a sensualidade e o desafio das trocas de olhares. O jogo da sedução levado ao limite numa ânsia desmesurada de ver quem é o primeiro a cair, só para elevar o patamar do confronto e podermos dar largas às carícias que tanto ambos desejam proporcionar.
Na maioria das paixões que intensamente vivi, a aproximação nem aconteceu, tendo o sentimento pura e simplesmente se esvaído... mas não troco o sufoco desses dias por nada! Foi bom... acabou é um facto; mas ainda bem que existiu... tal como no fim de uma relação, prefiro temporariamente chorar ou mesmo desejar morrer, do que viver no cinzento constante, confortável, previsível, controlado, indolor, inodoro, incolor, seguro... até porque tudo é efémero (e disto não tenham dúvidas!). Mas mesmo depois da paixão ter desaparecido, continuo a nutrir uma enorme admiração por essa pessoa. Se calhar, um eterno agradecimento...
A paixão pelas coisas é importante para que a nossa vida tenha objectivos, para que nos realizemos e empenhemos, desenvolvamos capacidades que de outra forma não seriam estimuladas. Encontro essa paixão na música, nas Artes Marciais, na velocidade, na praia, no ski, no wind-surf, no mar, no sol, na leitura... enfim, coisas que nos tocam de uma forma peculiar, que geram adrenalina, que nos fazem empenhar com unhas e dentes... infelizmente isso não acontece muitas vezes no trabalho... porque será?! Mas não se queira enganar quem encontra na paixão pelas coisas o “substituto ideal”, para a frustração pessoal, face à ausência de paixão e sentimento por outra pessoa (e mesmo amor)... sabem o que quer dizer a palavra “prioridade”?!...
Não espero nada das mulheres por quem me apaixono; pelo menos inicialmente. É claro que algumas vezes essa paixão é mútua e cria condições para um relacionamento. Ainda não descobri a fórmula de transformar essa paixão em amor, que por sua vez tenha a capacidade de ir revitalizando a paixão em diferentes momentos da vida de ambos. É essa a minha ambição e sonho. Acredito que seja algo que só se encontra a dois; mas não um “dois” qualquer... tem de ser aquele “dois”!

Sérgio

P.S.: este texto foi originalmente publicado no CALIMEROSMIX (o melhor blog da blogosfera), e reescrito na presente data.

6 comentários:

CARMO disse...

Obrigado Liliana pela inspiração deste texto escrito em 09/05/2001.

Blogmaster disse...

Uma descrição perfeita da paixão.
A Paixão que tanto nos faz querer viver loucamente, como nos faz querer morrer.
A paixão pelo sexo oposto... a paixão pela vida e por tudo que nos traz de bom.
E no entanto, é um sentimento tão instável... tanto é vivido com a máxima intensidade, como se transforma em ódio, dor ou raiva.
Tudo que é bom na vida encontra-se na corda-bamba... onde encontrar o equilíbrio é que é difícil.
E só se dá valor ao que se tem, quando não se tem.

MT/JC disse...

Carmo enamorado para sempre!!

Acredito que seja algo que só se encontra a dois; mas não um “dois” qualquer... tem de ser aquele “dois”! ... Tem que ser uma dupla de sucesso :) um mix lolol

adorei reler este belo texto !!

lixxxxxxo disse...

Paixao!Amor!Td mt bonito e descrito de 1a forma mt elequente!Mas n sera qye na realidade se esconde dos sentimentos?-tem medo de viver?porque a paixao/amor com o tempo transforma-se e á que saber dar fogo e manter a chama acesa!!!!será que tem esta capacidade?Uma dica:dizem que a "Rosa" é 1a das flores mais bonitas e representativas do Amor, pessoalmente nunca gostei. No entanto, hoje em dia percebo a metafora!!!!!É preciso saber contornar as dificuldades e sem elas a vida nao teria sabor!!!!Aproveita esta vida tentando AMA-la-)

caixxxxxxxote disse...

Paixão!Amor!O que seriamos sem isto! Faço das palavras do lixxxxxxo as minhas!
O MEDO é um sentimento que todos nós sentimos um dia, é preciso arriscar, como tudo na vida!
Aproveita tudo que a vida te proporciona:)

CARMO disse...

Simpáticas palavras... o texto não é exaustivo... por vezes Há a questão da oportunidade, do timing, da pessoa certa no momento errado, por impossibilidade real, por muito que se queira ter tempo e espaço. Aqui está um tema para outro post.